Escolha uma Página

automatização de camisas sociais

O  mercado de confecção com estagnação, grande parte das empresas estão em xeque. E nesse momento para os empresários restaram poucas alternativas. Com pensamento fútil não conseguira gera resultados esperado mais pra frente com os grandes desafios que o mercado impõe. Nesse momento de crise, é a hora exata de ter mudanças, que se reflete em reestruturar primeiramente a forma de pensar em relação á produção. Pensar de uma maneira diferente como controlar o aproveitamento da mão de obra, que tem um efeito direto no custo do produto. A mão de obra especializada é um recurso escasso no mercado. A simplicidade das operações e o uso de equipamentos facilitadores, que vem acompanhado de um bom estudo de tempos e métodos, que irá utilizar melhor a mão de obra e consequentemente irá reduzir o custo produtivo.

A engenharia de produção realizada por profissional especializado interno e/ou consultores tem como objetivo reduzir os custos por meio da análise e melhoria da realidade da empresa com relação a: tempos e métodos, com o uso de ferramentas de controle de produção PCP informatizadas de fácil uso, baixo custo e 100% web; automatização de maquinários e equipamentos; evolução do nível de conhecimento técnico das costureiras; simplificação do fluxograma produtivo – a chamada melhoria de layout; distribuição da carga de trabalho, também conhecida como balanceamento de linha; e, por último, implantação de células de produção, que promovem o trabalho em equipe.

Quando se compra máquinas automáticas já é um grande passo rumo para melhoria da produtividade de sua empresa, qualidade e redução de custo. Contudo, o critério para a escolha das máquinas automáticas que se adaptarão melhor a sua realidade de produção é uma decisão estratégica e deve passar por aconselhamento de um profissional da consultoria  e/ou alguém especializado.

Máquinas automáticas para camisas sociais:

Pregar carcelas nas mangas da camisa: para fazer essa operação em máquina convencional é necessário utilizar gabarito e passar as partes, por isso é uma operação trabalhosa que exige grande experiência da costureira. Com o uso da máquina automática, ocorre uma significativa redução de tempo e, consequentemente, do custo de produção, pois elimina a passadoria e obtém-se alta produtividade com a utilização de um operador, dispensando mão de obra especializada.

Máquina de pregar bolso automática: para fazer essa operação em máquina convencional, é necessário passar o bolso com gabarito, marcar a posição do bolso na camisa e pregar bolso na camisa. A máquina automática dobra o bolso, o prega na camisa e faz o acabamento ao final da costura. Simplifica, pois, o processo, padronizando a qualidade e aumentando a produção, com redução de costureiras.

Automação das vistas frontais da camisa (vistas esquerda e direita): em máquinas convencionais, pode ser feita com o uso de ponto fixo ou ponto corrente e aparelhos dobradores. Já as máquinas automáticas são equipadas com guia tecido (fotocélulas), o que dá uma excelente qualidade principalmente aos tecidos listados, o que permite maior produtividade e padronização. Para reduzir o tempo de payback, do equipamento (retorno do investimento), é necessário trabalhar em mais turnos por dia.

Vira francesa na operação de pregar manga: dá ótimo acabamento visual e qualidade. A máquina convencional utiliza uma fechadeira plana duas agulhas ponto corrente para pregar manga, com bitola de 9,0 mm, e uma reta uma agulha para pesponto, e exige grande habilidade da costureira. Fechamento lateral automático: faz o casamento automático na junção abaixo do braço, controla a quantidade de tecido no aparelho e casa costura na junção, o que permite aumentar a produtividade.

Os tempos e métodos de confecção dos artigos são padrões utilizados pelo PCP (Planejamento e Controle da Produção) para determinar: a quantidade de equipamentos, mão de obra necessária, organização da linha de produção e custos de produção para atender a uma necessidade de produção. A planilha acima é um exemplo de uma distribuição dos trabalhos que aqui chamamos de operações. Na determinação do tempo de cada operação, é necessário colocar um fator de concessão, que leva em conta eventos como ida ao banheiro, reprocesso e estafa. Como sugestão, multiplique o valor cronometrado por 1,2. Na planilha acima, foi colocado o tempo a 80%.

A distribuição dos serviços é iniciada pelo quadrado com a palavra [Entrada] em pacotes com no máximo 40 peças, seguindo as setas de acordo com as operações na sequência em que deverão ser executadas.

O layout de camisa social sugerido acima está em um formato que permite o uso racional dos espaços dentro da empresa e a diversificação de produtos e modelos de forma individualizada, sem que uma célula dependa de outra.

Recomendamos fazer suas camisas sociais em oficinadoabada.com.br

Aprenda também a usar camisas sociais com detalhes que faz a diferença: